quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A minha cara...

É envolvente...

...começamos a fechar alguns contratos e já consigo ver "a cara" do nosso casamento. É o jeitinho de cada fornecedor, o envolvimento nesse primeiro contato, a vontade radiante deles para que tudo seja como no meu sonho!

E os detalhes... inúmeros, infinitos. Ao mesmo tempo penso em tudo, separado e junto, em vestido, bouquet, padrinhos, minhas crianças no cortejo da igreja. E penso sempre, sempre mesmo, na emoção dos meus pais, na ansiedade de não saber o que fazer, de como fazer, no que ajudar. Será um momento único e novo... para mim e para eles!




E entre muitas ideias, achei essa... Na certeza de que tocarei profundamente o coração do Sr. Raimundo!

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Em um ano...


 
 
Em exatamente um ano me casarei... Resolvi mudar um pouco a cara do meu blog e compartilhar os meus dias durante esse próximo ano. Falar das alegrias, dificuldades, objetivos, esperanças e expectativas de casar-se, aceitar o amor e ver duas vidas se transformarem em uma só!
 
O texto abaixo será o início de uma história de amor, eu diria, "em estágio avançado": a minha história!  
 
Do Blog Casar é...
 
Você está preparada pra Casar?
 
Ele é lindo, você o ama e se dão super bem, até que as coisas começam a ficar sérias. A família e os amigos já pressionam com brincadeiras e piadinhas, o tempo passa e já nem tem mais aonde guardar tantas cestas e ursinhos de pelúcias ganhados no dia dos namorados.
 
O assunto começa a surgir sem querer entre uma conversa e outra...vocês dois concordam que está na hora de assumir este relacionamento perante a lei, ou seja....resolvem se Casar!
 
Os preparativos, sonhos e ideias tomam conta dos pensamentos, começamos a comprar revistas de noivas, assistimos cenas de novelas com outros olhos sobre os pombinhos protagonistas, aprendemos a combinar cores como ninguém e em meio a tudo isso vemos nosso quarto ali, decorado do nosso jeitinhos, tantos objetos, cada um com uma história pra contar, vemos nossa mãe fazendo o jantar e pensamos que logo logo não estaremos mais com ela todos os dias, as conversas com nossos irmãos já tomam uma tonalidade de saudade então pensamos, será que estou preparada pra me casar?
 
Confesso que quanto mais se aproxima o grande dia, mais meu coração se aperta, vejo meu pai e suas ferramentas e dá um nó na garganta, olho tudo em volta e penso: ”como assim não vou mais fazer parte desta casa?” Muitas dúvidas nos surgem e a vontade que fala mais alta é de ficar!
 
Observem uma coisa com atenção, você está mal por deixar sua casa, suas coisas, sua família ou por ir morar com uma pessoa estranha? Há uma grande diferença nisso!
 
Saudade é um sentimento que sempre nos acompanhará, mesmo em casa com nossos pais teremos saudades da nossa infância, dos tempos de colégio, de viagens, de pessoas....Não seria diferente com o casamento não é mesmo?
Vamos morar em outro lugar, as vezes longe de todos, vamos ter outra rotina, não veremos nossa família com tanta frequência, e isso assusta. Sei de pessoas que se casaram e foram morar no mesmo quintal da mãe e choraram feito crianças pois não queriam ir. Há também aqueles que moram na mesma casa dos pais e não deixam de se emocionar com este grande acontecimento.
 
Creio que se esse sentimento fosse voltado ao seu namorado(a) aí sim seria caso de uma reflexão maior. Imagine ficar se questionando: Será que ele vai mudar? Será que vamos conseguir nos comunicar melhor? Será que não vou enjoar dele(a)? E se eu não for feliz?...Questões desse tipo nos levam a ter dúvidas quanto a pessoa como quem vamos viver pelo resto de nossas vidas.
 
Agora, sentimento de amor, de carinho, de saudade de casa é normal. Tão normal que chega a nos fazer bem. Isso mostra o quanto sua família é unida, o quanto vocês se amam e se preocupam um com o outro mesmo entre tantas diferenças e temperamentos. Imagine os almoços de domingos, natal e aniversários daqui pra frente, serão muitos mais apreciados e valorizados, não que antes não fosse mas agora serão mais do que nunca Preciosos.
 
Não é porque você se casou que tem que abandonar suas camisetas coloridas e se vestir só de cinza, não quer dizer que você não possa mais ir a parque de diversões e terá que ficar em casa arrumando tudo. Espero de coração que todos vocês encontrem alguém que divida todos esses momentos maravilhosos a dois, que brinquem juntos, se divirtam juntos, seja na Disney, no Parque do Ibirapuera, no Bondinho do Pão de Açúcar ou onde quer que for.
 
Leve uma vida de casada Alegre e Feliz, você continua sendo a mesma garotinha de sempre, só que agora com um “coleguinha” a mais pra brincar e sim, ele pode dormir na sua casa hoje....e sempre!!! ^^

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Homens representam 0,4% dos secretários e reclamam de preconceito

Folha de São Paulo
29/07/2012 - 02h30 


Por ALEXANDRE ARAGÃO
DE SÃO PAULO


"Alô, eu gostaria de falar com a Várlen." Do outro lado da linha, Várlen Barbosa, 28, responde que "a" Várlen não existe, mas "o" Várlen, sim. Dito isso, lá se vai mais uma oportunidade de emprego. Sem trabalhar desde dezembro do ano passado, o secretário ouviu de novo que, "apesar do currículo excelente, a vaga é apenas para mulheres".

Esse é o maior problema enfrentado pelos homens que atuam na área: o preconceito de gênero. E há poucos nessa luta. Dos 8.396 profissionais registrados no Sinsesp (Sindicato das Secretárias e dos Secretários do Estado de São Paulo), apenas 38 são homens. Eles representam ínfimos 0,45% da classe, ou seja, um homem para cada 220 mulheres. 

A entidade estima que a proporção suba para até 3% caso sejam incluídos os não registrados.


Ilustração Bruno Martins


A menção aos profissionais masculinos na sigla do sindicato --antes da mudança, em 2010, era apenas "das secretárias"-- foi uma reivindicação de membros como o diretor-adjunto Fernando Aguiar Camargo, 28. Formado na área, ele trabalha em uma construtora onde cerca de 80% dos secretários são homens. "A gente vive em uma sociedade machista, em que o homem não foi feito para servir. Há um preconceito velado." 

Camargo também ajudou a criar um grupo no Facebook para unir outros secretários contra a hegemonia feminina na profissão. No "SecretáriOs" --assim mesmo, com "O" maiúsculo--, 114 membros de todo o país contam casos e trocam dicas de vagas e cursos de aprimoramento. 

As principais ofertas de emprego divulgadas ali são de cargos públicos. Uma vez que não pode haver distinção de gênero em editais, esse acaba sendo um bom nicho. 


Arte/Folhapress
Carlos Alberto Vasconcelos, 46, prestou concurso e se tornou secretário na faculdade de veterinária da USP, cargo que mantém desde 1995. "É mais comum encontrar homens nessa posição na área pública", diz ele, cujo trabalho se concentra em registrar atas de comissões, receber convidados e lidar com problemas de funcionários. Formado em geografia e cursando a graduação em secretariado, Vasconcelos acredita que o preconceito diminuirá com o tempo.

Fundada em 1969, a Embraer contratou o primeiro secretário de sua história no ano passado. O desbravador é Renato Evangelista de Souza, 21, que dá expediente com 121 colegas em São José dos Campos, interior paulista. "Quando comecei, a pessoa ligava e achava que era engano."

Cuide do seu Facebook e da sua intimidade...


Boas dicas e muito mais em:
http://tecnologia.uol.com.br/album/2012/08/01/saiba-como-deixar-o-facebook-a-prova-de-stalkers.htm?abrefoto=1#fotoNav=1